AUTOR DO SITE:  Tiago Leme

 

QUEM SOU EU?

 

Tenho 37 anos, nasci em São Paulo, morei oito anos em Caraguatatuba, quase três anos em Londres (Inglaterra), voltei para a capital paulista, fiquei cinco anos no Rio de Janeiro e estou em Paris desde agosto de 2017. Sou formado em jornalismo e trabalho na área desde 2003, quase sempre com esportes.

Já trabalhei na rádio Integração e na Caraguá FM, no jornal Agora São Paulo, no site da ESPN Brasil e no Globoesporte.com. Também já escrevi matérias para as revistas Placar e Viagem e Turismo, para os sites Terra, Yahoo e UOL e para os jornais Folha de S. Paulo e Lance. Além de cobrir vários eventos e jogos legais e entrevistar pessoas interessantes, o jornalismo esportivo me deu a oportunidade de fazer viagens pelo Brasil e pelo mundo.

Viajar, na verdade, é uma coisa que começou cedo na minha vida, muito por influência da família. Eu morava em São Paulo, mas perdi a conta das inúmeras vezes que fui a Brasília, Rio de Janeiro e São João Del Rei desde criança para visitar familiares. A primeira viagem internacional aconteceu em 1992, quando eu tinha 9 anos, junto com meus pais e minha irmã, para Orlando, no Estados Unidos, claro, aquele passeio tradicional de excursão com agência de turismo para a Disney. Daí em diante, alguns outros destinos entraram na lista, mas demorou um certo tempo até eu fazer meu primeiro mochilão, que aconteceu em 2007. Durante 27 dias, viajei sozinho pela América do Sul, por Bolívia, Peru, Chile e Argentina, e a partir de então parece que a mochila ficou grudada nas minhas costas.

 

A coisa deslanchou mesmo em 2008, quando decidi largar o emprego no Brasil para, a princípio, ficar um ano estudando inglês em Londres. Acabei ficando por lá quase três anos. Cheguei na Inglaterra pensando em juntar um dinheiro para no fim fazer uma viagem de cerca de um mês pelos principais lugares da Europa, como Paris, Barcelona, Madri... Mas o vício por viajar e a facilidade para se deslocar naquele continente falaram mais alto e rapidamente mudaram meus planos para melhor. Com apenas três meses por lá, eu estava indo para Oslo e Copenhagen, sem nunca ter imaginado ir pra Noruega e Dinamarca antes. A cada libra ganha em trabalhos como cleaner, garçom, bartender, entregador de jornal ou freelas no jornalismo, a cada Big Mac pós-balada economizado em troca de uma pizza de 0,99 pence do indiano, e graças às promoções da Ryanair e da Easyjet, um destino a mais entrava na lista.

 

De volta a São Paulo no fim de 2010 e trabalhando novamente com emprego fixo, as viagens não podiam parar. A cada férias tiradas um novo roteiro era traçado, e desta vez a busca era por países mais exóticos e onde o custo é bem mais barato que no Brasil, já que o salário em libras fazia parte do passado. Com o real valorizado em certo momento, fiz mochilões pelo Oriente Médio em 2011, Sudeste Asiático entre 2013 e 2014 e América Central em 2015. Depois, também fui para o Caribe em 2016 e África em 2017 No meio disso tudo aí, ainda teve uma volta temporária para Londres a trabalho, por quatro meses em 2012, na época das Olimpíadas.

 

Agora, cá estamos em 2019, trabalhando, sonhando com novos projetos, fazendo planos para a próxima viagem e também querendo incentivar todos vocês a viajarem cada vez mais!

SOBRE O SITE

 

Qual o objetivo do site?

 

O “Bora Viajar Agora" acredita que é possível (e necessário) viajar sempre. A ideia aqui é incentivar e dar dicas de viagens sem gastar muito dinheiro. Mostrar que você pode pesquisar, reservar, economizar e fazer o seu próprio planejamento turístico de forma independente. Além de ajudar com sugestões e mostrar que viajar é mais fácil e barato do que a maioria pensa, a ideia do site é promover a interação dos leitores e também receber dicas de outros viajantes. Fiquem à vontade para comentar, acrescentar informações, concordar ou discordar de qualquer texto escrito por aqui. Tem alguma recomendação de hotel, festa, passeio, roteiro? É só mandar. Qualquer colaboração é sempre bem-vinda.

 

Como surgiu a ideia de fazer o site?

 

O “Bora Viajar Agora” é a concretização de uma ideia que eu tenho já há um bom tempo, de fazer um site com as experiências de minhas viagens que possam ajudar quem pretende viajar. Cheguei a ter um blog nesta linha durante um tempo, o “Lost in London”, mas desta vez o projeto foi colocado em prática de forma mais elaborada. Não são poucos os amigos, ou amigos de amigos, que me pedem dicas e sugestões de roteiros, hospedagem, transporte, festas, lugares para visitar, etc... E podem continuar pedindo à vontade, mas a partir de agora essa pesquisa pode ser facilitada com as informações aqui no site.

 

O que encontrar no site?

 

A intenção do “Bora Viajar Agora” não é substituir um guia de viagem, e, sim, ser um complemento no planejamento. Aqui no site, eu relato minhas experiências pessoais de cada destino visitado, com textos descontraídos, opiniões e informações. No entanto, o conselho é sempre ler também um guia, como Lonely Planet ou Rough Guide por exemplo, para uma noção mais geral sobre cada lugar. Na página de cada cidade, eu também coloco links para sites oficiais bem úteis para pesquisas. Além disso, eu indico blogs de outros viajantes, existem vários excelentes que me ajudaram muito antes dos mochilões. Cada pessoa tem seu estilo e gostos diferentes, por isso a melhor coisa a ser feita é ler diversos relatos para complementar o planejamento, textos com distintas opiniões, para encontrar aquela que mais combina com você.

 

Por que devemos viajar cada vez mais?

 

Cada pessoa é feliz de uma forma e tem suas prioridades, então respeito as opções de cada um, mas eu penso que viajar está entre as melhores coisas da vida. Para mim, gastar dinheiro com viagens vale muito mais a pena do que com bens materiais, seja carro, móveis, roupas... A experiência de conhecer novos lugares, novas culturas, novas pessoas faz você abrir mais a sua cabeça e perceber que o mundo é muito mais do que apenas aquilo que está a sua volta. Faz você perceber melhor o que é certo ou errado, bom ou ruim, quente ou frio, caro ou barato... É aquela história: ir para as cidades desenvolvidas da Europa ou dos Estados Unidos normalmente faz você criticar muitos pontos no Brasil. Conhecer as dificuldades de lugares do Oriente Médio, Ásia ou África faz você valorizar muito mais o nosso país. Tudo depende do referencial. De uma coisa eu tenho certeza: viajar pode até fazer você gastar dinheiro, mas você está investindo principalmente na sua educação e cultura. Viajar te faz uma pessoa melhor!

 

Viajar bastante custa caro?

 

A pergunta é complexa e não tem uma resposta simples. Não importa se você ganha R$ 1.000 ou R$ 20.000 de salário por mês, viajar sempre é possível desde que você tenha isso como meta. Não importa se vai viajar para uma cidade do Brasil perto de onde você mora por um fim de semana ou se vai dar a volta ao mundo durante um ano. O que importa é ter novas experiências, sair daquela zona de conforto e acumular histórias pra contar. Faça o planejamento de viagem de acordo com as suas possibilidades financeiras, tenho certeza que aquele sofá novo ou aquela roda de carro que você quer trocar podem ficar de lado. Junte essa grana pra viajar.

 

Qual é o estilo de viagem do Bora Viajar Agora?

 

O estilo de cada viagem depende de cada pessoa, mas também não importa se você é solteiro ou casado, se tem filhos ou não, se é novo ou velho. Viajar é sempre válido e proveitoso. Eu sou adepto do mochilão! Para economizar, costumo ficar em hostels com quarto compartilhado ou em hotéis baratos com quartos privados, isso varia conforme o custo do destino e o objetivo. O importante para mim é ter uma boa localização e preferencialmente um ambiente comum para conhecer pessoas do mundo inteiro. Uma bar animado no hostel sempre vai bem. Aliás, o gasto extra com cerveja e festa frequentemente acaba extrapolando meu orçamento inicial. Faz parte. Não existe um certo e um errado, acho que vale você gastar mais naquilo que você gosta e economizar no que não te interessa tanto. Faço questão de sempre comer comida típica local, e restaurantes simples ou barraquinhas na rua costumam oferecer boas opções econômicas. Tudo isso não quer dizer também que eu já não tenha me hospedado em um resort ou gastado alguns dólares a mais em um jantar fino. O mesmo vale para o transporte, na maioria das vezes ônibus e trem resolvem nas cidades, principalmente na Europa, em outras o táxi vale a pena. Economizar é sempre importante para poder viajar cada vez mais, mas também não adianta segurar demais o bolso e desperdiçar a oportunidades de conhecer novas atrações, novas experiências. Use sempre o bom senso! E aí, Bora Viajar Agora?

 

A EQUIPE

 

Já viajei muito sozinho, outras vezes com amigos e até em grupos grandes. Já há algum tempo e até hoje, minhas viagens são feitas com minha namorada e agora esposa, Júlia Isnard. Além de dividir comigo esses momentos em cada destino diferente, ela é uma das grandes incentivadoras do “Bora Viajar Agora” e principal responsável pela criação e edição do site. Formada em biologia, adquiriu o vício por viajar nos últimos anos e agora também “virou” web designer usando as ferramentas da plataforma online Wix.com.

O logo do “Bora Viajar” agora foi projetado e desenhado pelo amigo Gustavo Yazbek, que também deu sua contribuição para deixar essa identidade visual do site. Em breve, outros amigos e parceiros também darão a sua colaboração escrevendo textos com dicas e experiências de suas viagens.

Países visitados pelo

Bora Viajar Agora

  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • Twitter Social Icon
  • YouTube ícone social

@BoraViajarAgora

PESQUISAR

PARCEIROS

- PLANEJE SUA VIAGEM POR AQUI:
Pesquise e faça suas reservas pelos links abaixo. Você não paga NADA a mais por isso, e o Bora ganha uma pequena porcentagem!

RESERVE SEU HOTEL

FAÇA SEU SEGURO

ALUGUE SEU CARRO

COMPRE SEU PACOTE

COMPRE SEU INGRESSO

Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados - BORA VIAJAR AGORA

Todo o conteúdo do Bora Viajar Agora está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é vedada qualquer reprodução ou divulgação dos textos e imagens, com ou sem fins lucrativos, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem consulta e aprovação prévia dos editores.