Brazil-Flag-128

ARRAIAL DO CABO: roteiro das melhores praias, o que fazer

Capital do mergulho, Caribe brasileiro e lotada nos feriados
Publicado em:
- Atualizado em:

Quando fui a Arraial do Cabo: Março de 2016 / Setembro de 2016

Quanto tempo: 3 dias / 2 dias

Aproveitar praias de águas impressionantemente cristalinas e mergulhar em pontos com vida marinha espetacular pode não ser nada longe, principalmente se você mora no Rio de Janeiro ou até mesmo em São Paulo e Minas Gerais, e também nada caro. Não é preciso cruzar um oceano ou gastar além da conta. Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do estado do Rio, tem bons preços e é um dos destinos litorâneos mais belos do Brasil (e por que não do mundo?), ótimo para ecoturismo. Não por menos, a cidade é conhecida como o Caribe brasileiro e a capital do mergulho.

Esse pequeno município de apenas 30 mil habitantes tem ruas estreitas, poucas construções altas e quase zero de vida noturna (não dá nem para comparar com a quase vizinha Búzios). A tranquilidade dos dias normais na cidade, no entanto, é quebrada em qualquer feriado, fim de semana prolongado ou alta temporada. Nestas datas, a beleza do mar da sensacional Praia do Farol, das Prainhas do Pontal do Atalaia ou da Praia do Forno continua com nível caribenho, mas a quantidade de gente e guarda-sóis lotando a areia tira um pouco do encanto do lugar.

A recomendação é tentar visitar Arraial durante a semana, mas a recomendação principal é visitar Arraial, seja quando for possível. Afinal, curtir algumas das melhores praias do país, fazer passeios de barco, mergulhar, comer frutos do mar e tomar uma cerveja à beira-mar não é ruim nunca, não é? No verão, de novembro a fevereiro, os dias são mais quentes e chuvosos, mas é possível aproveitar a região o ano inteiro. Março e abril dizem ser os melhores meses, ainda quentes e mais secos.

TRANSPORTE:

Fomos de carro do Rio de Janeiro até Arraial do Cabo, o que dá umas três horas de viagem, sem trânsito. É possível ir de ônibus, a Auto Viação 1001 faz esse trajeto a partir do Rio e também sai de outras cidades próximas. Ainda existem ônibus da região que ligam Arraial a Cabo Frio (13km) e a Búzios (38km).

Para circular na cidade, ficando na Praia dos Anjos, que é mais central, é possível fazer quase tudo a pé. A grande exceção é a ida até as Prainhas do Pontal do Atalaia, que ficam a uma distância de 5km e não há transporte público até lá. Com isso, é necessário ir de carro (parte da estrada é de terra) ou pegar um barco-táxi no porto ou fechar um passeio de barco.

HOSPEDAGEM:

Ficamos em uma casa na cidade de Cabo Frio e fizemos bate-volta todos os dias, trajeto de 13km que demora cerca de meia hora e foi bem tranquilo. Foi uma boa economia ter onde ficar de graça, porque era feriado de Páscoa e as pousadas de Arraial estavam com preços mais elevados. Em média, os lugares mais baratos que pesquisei na Praia dos Anjos e arredores cobravam R$ 300 a diária de um quarto duplo. A cidade conta com alguns hostels também, e obviamente os quartos compartilhados têm preços mais baixos. Uma boa sugestão é ver aluguel de casa ou quarto no site Airbnb, e com antecedência a oferta é maior. Em dias da semana ou baixa temporada, os valores de hotéis e pousadas caem bastante.

– FAÇA AQUI A SUA RESERVA PELO BOOKING.COM OU HOSTELWORLD.COM

​PRAIAS E ATRAÇÕES:

Fazer um passeio de barco é a melhor forma de conhecer as melhores praias da cidade, aliás, é a única forma de visitar a mais bonita delas, a Praia do Farol, que fica na Ilha de Cabo Frio, logo em frente de Arraial. Fizemos com a Arraial Tur, pagando R$ 60 por pessoa, valor que incluiu paradas da Praia do Farol, Prainhas do Pontal do Atalaia (cerca de 40 minutos em cada) e uma passada na frente da Gruta Azul e da Fenda de Nossa Senhora, saindo às 10h e voltando umas 14h30. Eu não sou muito fã de excursão, é sempre aquela coisa de horário marcado, fica sempre na dependência de outras pessoas, um guia tentando ser o “animadão”, ainda mais quando o grupo é grande. Enfim, mas apesar disso não tenho nada a reclamar da empresa, que foi bem organizada e cumpriu o que prometeu. O barco tinha música, vendia churrasquinho e bebidas a preço justo e alugava snorkel para quem quisesse.

Existem, no entanto, inúmeras opções de barcos para os passeios, alguns maiores, outros menores, cobrando desde R$ 40. Mesmo no feriado e com a cidade lotada, era facilmente possível fechar o tour na hora no porto, tinham vários caras oferecendo. Vale ficar esperto porque nem todos têm autorização para descer na Praia do Farol, alguns só passam ali na frente. Um dos mais recomendados lá é o Saveiro Don Juan.

Mas vamos às praias. Como já citei, a Praia do Farol (conhecida às vezes como Ilha do Farol) tem água cristalina que não devem em nada pra muito lugar do Caribe. O local é uma reserva ambiental, controlado pela Marinha do Brasil e há cordas delimitando o espaço na areia onde é permitido ficar. Só é permitido descer na praia 250 pessoas por vez e a permanência máxima é de uma hora, por isso é normal ter fila de barcos esperando a sua vez. Lá, não há nenhuma estrutura de bar, cadeira ou guarda-sol e é proibido levar comida e bebida.

Na parte continental, o prêmio de mais bela fica com as Prainhas do Pontal do Atalaia, que na verdade é uma praia só, mas tem nome no plural porque com a maré alta a faixa de areia se divide em duas. O local fica em uma península bem em frente à Praia do Farol, e o espetacular mar azulado (ou seria esverdeado?) é compartilhado por esses dois maravilhosos lugares. Para quem sobe de carro até o Pontal do Atalaia (ali em cima há um bom ponto para ver o pôr do sol), é preciso descer uma longa escadaria de madeira até as Prainhas, esforço pequeno perto da beleza do visual. A praia é bem tranquila e quase deserta em dias de semana, mas lota em fins de semana e feriados, quando fica também cheia de barraquinhas de comida e bebida. Uma boa dica ali no canto esquerdo das Prainhas do Pontal é conhecer a Gruta do Amor, uma pequena caverna entre as pedras que rende boas fotos. Para chegar até ela e entrar, é preciso que a maré esteja baixa (o que geralmente acontece bem cedo), neste caso o acesso pode ser feito a pé pela areia. Alguns passeios de barco também param ali. Diz a lenda que os casais que entram na gruta saem apaixonados para sempre.

Completando o pódio de Arraial do Cabo, o terceiro lugar vai para a Praia do Forno, também de águas cristalinas, vazia normalmente, lotada em datas especiais e com estrutura de bares, cadeiras e guarda-sóis. Para chegar até ela, pega-se uma trilha que começa logo ao lado do porto e demora uns 15 minutos, acesso bem fácil para quem está ali no centro. Outras opções para quem quer curtir o sol são a Prainha (logo na entrada da cidade), a Praia Grande (bem extensa), a Praia dos Anjos (que é a praia central, cheia de barcos e com quiosques) e a Praia Brava (mar aberto).

COMER E BEBER:

Além das praias, um agradável programa em destinos litorâneos é sempre comer frutos do mar. Para quem gosta, estivemos em dois restaurantes que valeram bem a pena, o Garrafa de Nansen e o Saint Tropez, ambos com pratos muito bem servidos de lula, polvo, camarão a preços médios de R$ 80 a R$ 100, para duas pessoas, mas que daria tranquilamente para três. Obviamente, há várias alternativas e tipos de comida mais baratos nas ruazinhas ali do centro. O que não tem em Arraial, mesmo em feriados, é agitação noturna. O bar mais animado que vimos por lá é o Noturnos, com música ao vivo. Mas para quem quer festa mesmo, o negócio é ir para Búzios ou Cabo Frio.

MERGULHO:

Chamada de a capital do mergulho, Arraial conta com várias escolas que oferecem cursos na área e possui dezenas de pontos onde é possível avistar grande vida marinha, um verdadeiro paraíso subaquático no Rio de Janeiro. Além da beleza, a cidade também é conhecida pela baixa temperatura da água, o que frequentemente incomoda os mergulhadores, principalmente os menos experientes. No mar de dentro, protegido pelas ilhas, a profundidade é menor, a água é menos fria e é possível ver muita coisa legal lá em baixo. No mar de fora, é mais fundo, mais gelado e há navios naufragados, lugares para quem tem cursos mais avançados.

Depois de muito pesquisar, mergulhamos com a Ecodiving, lugar que eu recomendo 100%, principalmente por causa do excelente atendimento e acompanhamento dos instrutores durante a atividade. Pagamos R$ 230 por pessoa para uma saída de barco com dois mergulhos (valor para quem já é certificado pelo PADI), com lanche a bordo e três fotos inclusas. Pegamos um dia com ótima visibilidade e o mergulho foi muito bom, mesmo no mar de dentro, com direito a vários cavalos- marinhos, tartaruga, moreia, lagosta, baiacu e outros diversos peixes.

EVITE FERIADOS:

Vale um tópico à parte porque a cidade vira praticamente outra quando está exageradamente lotada. Ficamos três dias em Arraial do Cabo durante o feriado da Páscoa de 2016 e, como já expliquei acima, a beleza das águas cristalinas é impressionante de qualquer forma. No entanto, o excesso de pessoas e guarda-sóis domina o espaço da areia nas praias, que são praticamente desertas em dias de semana ou fins de semana menos concorridos. O ambiente muda, a tranquilidade não é a mesma e, se você não relevar certas coisas, até a sua impressão sobre o local pode ser bem diferente.

Além disso, com a cidade cheia na alta temporada e datas especiais, preços sobem, passeios de barco ficam mais lotados, há mais filas e demora para sair do porto e atracar nas praias. Mesmo nas saídas para mergulho, perde-se mais tempo esperando no barco por causa do número de pessoas fazendo “batismo” (mergulho para não certificados, acompanhado de instrutor). E como Arraial não é um destino bom para festas e agito noturno mesmo nos feriados, nossa recomendação é tentar evitar essas datas mais lotadas. Mas que fique claro que isso não quer dizer que será ruim. Nem todo mundo pode ir em “dias normais”, nós fomos na Páscoa e mesmo assim curtimos bastante. Depois disso, fomos uma segunda vez para lá, durante a semana em setembro, e o resultado foi de praias bem mais vazias, principalmente pela manhã.

IMPERDÍVEL:

– São três praias espetaculares e com águas cristalinas, nível Caribe. Pela ordem, a melhor é a Praia do Farol, depois as Prainhas do Pontal do Atalaia e a Praia do Forno.

– Pesquise bem e confirme se o passeio de barco escolhido desce mesmo na Praia do Farol. Há muita oferta lá, não é preciso fechar com o primeiro.

– Tente evitar feriados, quando a cidade fica lotada. A beleza do mar é a mesma, mas as praias perdem um pouco do encanto com tanta gente e guarda-sóis na areia.

QUER SABER MAIS SOBRE ARRAIAL DO CABO? ACESSE TAMBÉM:

Site da cidade

– Blog Apaixonados por Viagens

Tiago Leme
Tiago Lemehttps://www.boraviajaragora.com/
Jornalista, autor do Bora Viajar Agora, atualmente morando em Paris, trabalhando como freelancer. Já visitei 77 países. Os posts escritos neste blog são relatos de minhas viagens, com dicas e informações para ajudar outros viajantes.

Leia Também

SÃO MIGUEL DOS MILAGRES: praias, o que fazer, onde ficar

Praias, jangadas e o paraíso descoberto em uma vila rústica e calma na rota ecológica de Alagoas

MARAGOGI: dicas das piscinas naturais, como ir, praias

Piscinas naturais e a variação das marés na capital da Costa dos Corais em Alagoas

CHAPADA DOS VEADEIROS: o que fazer, as cachoeiras mais bonitas

Cachoeiras, natureza, boas energias e esoterismo em Alto Paraíso e região

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos Posts

SAINT BARTH: as melhores praias, o que fazer, como ir

Uma (tentativa de) viagem barata na ilha francesa dos milionários e celebridades no Caribe

GORGES DU VERDON: como ir, o que fazer, onde ficar

Um dia no maior cânion da Europa, com pedalinho no lago e os campos de lavanda

MARSELHA: como ir às calanques, o que fazer, onde ficar

As belas calanques, praia, sol, imigrantes e uma França bem diferente da capital

SÃO PETERSBURGO: o que fazer, roteiro, dicas de viagem

Com toque europeu, a luxuosa cidade imperial dos czares russos, cultura e as noites brancas

IOS: festas, praias e o que mais fazer nesta ilha grega

A ilha grega com festas o dia inteiro e diversão garantida a preços baixos