SUDESTE ASIÁTICO: roteiro de 38 dias por quatro países

Roteiro completo de viagem no Sudeste Asiático, de 38 dias por quatro países: Tailândia, Laos, Vietnã e Camboja
Publicado em:

Quando fiz este roteiro no Sudeste Asiático: Dezembro-2013 a Janeiro-2014

Quanto tempo: 38 dias

Países visitados: 4 (Tailândia, Laos, Vietnã e Camboja)

ROTEIRO NO SUDESTE ASIÁTICO :

  • 1° dia- 25/12 (quarta): RIO DE JANEIRO
  • 2° – 26/12 (quinta): LISBOA / FRANKFURT
  • 3º – 27/12 (sexta): BANGKOK
  • 4º – 28/12 (sábado): BANGKOK / KO PHANGAN
  • 5º – 29/12 (domingo): KO PHANGAN
  • 6º – 30/12 (segunda): KO PHANGAN
  • 7º – 31/12 (terça): KO TAO / KO PHANGAN
  • 8º – 1º/1 (quarta): KO PHANGAN
  • 9º – 2/1 (quinta): KO PHANGAN / KO PHI PHI
  • 10º – 3/1 (sexta): KO PHI PHI
  • 11º – 4/1 (sábado): KO PHI PHI
  • 12º – 5/1 (domingo): KO PHI PHI
  • 13º – 6/1 (segunda): KO PHI PHI
  • 14º – 7/1 (terça): PHI PHI / PHUKET / CHIANG MAI
  • 15º – 8/1 (quarta): CHIANG MAI
  • 16º – 9/1 (quinta): CHIANG MAI
  • 17º – 10/1 (sexta): CHIANG MAI / CHIANG RAI
  • 18º – 11/1 (sábado): LUANG PRABANG
  • 19º – 12/1 (domingo): LUANG PRABANG
  • 20º – 13/1 (segunda): LUANG PRABANG / HANÓI
  • 21º – 14/1 (terça): HANÓI
  • 22º – 15/1 (quarta): HALONG BAY
  • 23º- 16/1 (quinta): HALONG BAY / HANÓI
  • 24º – 17/1 (sexta): HANÓI / NHA TRANG
  • 25º – 18/1 (sábado): NHA TRANG
  • 26º – 19/1 (domingo): NHA TRANG
  • 27º – 20/1 (segunda): HO CHI MINH
  • 28º – 21/1 (terça): HO CHI MINH
  • 29º – 22/1 (quarta): HO CHI MINH / SIEM REAP
  • 30º – 23/1 (quinta): SIEM REAP
  • 31º – 24/1 (sexta): SIEM REAP
  • 32º – 25/1 (sábado): SIEM REAP / BANGKOK
  • 33º – 26/1 (domingo): BANGKOK 
  • 34º – 27/1 (segunda): BANGKOK
  • 35º – 28/1 (terça): BANGKOK
  • 36º – 29/01 (quarta): ZURIQUE / LISBOA
  • 37º – 30/01 (quinta): LISBOA
  • 38º – 31/01 (SEXTA): LISBOA / RIO DE JANEIRO

* Para saber mais sobre cada uma das cidades visitadas, acesse as páginas abaixo:

– KO PHANGAN: A ilha da Full Moon Party, um réveillon com muito baldinho e fogo

KO PHI PHI: Muito mais do que “A Praia”, o verdadeiro paraíso de dia e de noite

– CHIANG MAI: Elefantes, tigres, tribo long neck, templos e uma Tailândia mais cultural

LUANG PRABANG: Monges e templos budistas, natureza e uma volta ao reino do passado na tranquilidade do Laos

HANÓI: Motos e caos à primeira vista, história e diversão na capital do Vietnã comunista

HALONG BAY: Festa no barco e noite no mar vietnamita em uma das 7 Maravilhas Naturais

SIEM REAP: Explorando os templos de Angkor ou curtindo a noite, Camboja é tiro certo

​- BANGKOK​: Templos, mercado flutuante e a bagunça na Khao San: saiba o que fazer em três dias na capital tailandesa

As paradisíacas praias da Tailândia são o primeiro lugar que vem à cabeça quando se pensa em uma viagem pelo Sudeste Asiático. E elas, de fato, merecem a fama. Foi por causa delas, aliado à vontade de passar o réveillon na Full Moon Party, que decidimos fazer o mochilão pela região.

No entanto, a partir daí, cada vez mais que a pesquisa se aprofundava para montar o roteiro, mais surpresas e lugares imperdíveis para se visitar apareciam. Expectativas que foram criadas e correspondidas em alto nível, incluindo destinos também no Laos, Vietnã e Camboja.

Em uma viagem de 38 dias no total, que chegou a ter dez amigos juntos em alguns momentos, conseguimos aliar diversas praias, com festas, templos budistas, história, cultura local, natureza, animais… Como sempre acontece em mochilões, tivemos que cortar algumas cidades do planejamento inicial, sempre pensando em conhecer o maior número possível de lugares diferentes, mas sem tanta pressa e ajustando isso a uma boa logística de transportes.

Apesar de os países visitados ainda estarem em desenvolvimento, possuem uma boa estrutura para o turismo, já que há tempos estão na rota dos viajantes, principalmente a Tailândia. Mesmo assim, o Sudeste da Ásia é um dos lugares mais baratos do mundo para se viajar, com um custo-benefício impressionante bom nos gastos do dia a dia. Importante citar que a melhor época para visitar as praias tailandesas é de novembro a março, quando o clima é favorável. De julho a outubro, época das Monções, costuma chover bastante por lá.

PARA ONDE MAIS IR: entre os destinos que eu não visitei, mas fazem parte do roteiro de muita gente, certamente vale destacar Krabi e as praias e belezas naturais da região, como a Railay Beach (Por que não fomos???). Ainda na Tailândia, Ko Lipe é uma ilha paradisíaca e mais tranquila. No Laos, o destaque é o tubing no rio em Vang Vieng, e também as quatro mil ilhas em Si Phan Don. No Vietnã, vale citar as históricas cidades de Hoi An e Hue, as montanhas em Sapa e o Delta do Rio Mekong. No Camboja, a ilha de Koh Rong, as praias de Sihanoukville e a capital Phnom Penh são boas opções.

 

TRANSPORTE:

Os diversos deslocamentos entre as cidades incluíram avião, ônibus, ferry e trem, e mesmo nos voos nós conseguimos pagar bons preços. Claro, por economia, algumas viagens rodoviárias exigiram longas horas e um cansaço maior, mas nada que não fosse recompensado ao chegar no destino. As principais companhias aéreas para voos nesses países do Sudeste Asiático são a Air Asia, Bangkok Airways, Nok Air, Thai Lion Air, Cambodia Angkor Air, Vietnam Airlines, VietjetLaos Airlines.

RIO DE JANEIRO – BANGKOK:

 

28h de viagem (incluindo espera nas conexões)

Voo da TAP com conexão em Lisboa e depois em Frankfurt. De lá, voo da Thai Airways para Bangkok. Mas existem diversas opções de companhias aéreas que fazem este trajeto do Brasil até a Tailândia, via Europa, África ou Oriente Médio.

BANGKOK – KO PHANGAN:

 
 
 
 

5h de viagem

Compramos com boa antecedência pela internet um voo da Air Asia (80 dólares) de Bangkok para Surat Thani, trajeto que demora 1h15. Chegando lá, pegamos um ônibus do aeroporto até o porto de Donsak, cerca de uma hora de viagem. Na sequência, um ferry da Raja para Ko Phangan, por 500 bahts (16 dólares) ticket comprado no aeroporto junto com o ônibus, e ficamos mais umas 2h no mar. A Lomprayah é outra empresa de ferry da região. No site da Air Asia é possível comprar de uma vez só o combo voo + ônibus + ferry.

KO PHANGAN – KO TAO:

1h30 de viagem

Tour de barco pela Seatran Discovery, 1h30 de viagem de ida em um mar normalmente muito mexido, mais o mesmo tempo de volta. Fechamos o passeio por 1.500 bahts (48 dólares) direto no hotel que estávamos em Ko Phangan, com almoço incluso e parada na ilha de Ko Nang Yuan. Vale ficar alerta no ferry de ida para Ko Tao, trajeto que normalmente o mar está batido e muita gente passa mal mesmo. Não por acaso, são distribuídos saquinhos de vômito pelos funcionários.

KO PHANGAN – KO PHI PHI:

 
 
 

8h de viagem

Fechamos o combo no hotel de Ko Phangan por um total de 800 bahts (25 dólares), incluindo 1h30 de ferry até o porto de Donsak, umas 4 horas de ônibus até Krabi e mais 1h30 de ferry até Ko Phi Phi. Saímos às 7h da manhã e chegamos pouco depois das 15h. É possível comprar o ticket no site da Seatran Discovery.

KO PHI PHI – PHUKET:

2h de viagem

Trecho de ferry feito em 2h, comprado com um ou dois dias de antecedência em uma das diversas agências espalhadas pelas ruazinhas de Ko Phi Phi, por 250 bahts (8 dólares). Mais informações do ferry de Ko Phi Phi neste link

PHUKET – CHIANG MAI:

 

2h de viagem

Voo da Air Asia (76 dólares) comprado com boa antecedência pela internet. Também existe a opção de ir de ônibus, mas o trajeto é bem longo.

CHIANG MAI – LUANG PRABANG:

 

20h de viagem

Viagem bem longa de ônibus, um total de quase 20h, com uma parada em Chiang Rai para visitar o Templo Branco (Wat Rong Khun), tempo de imigração na fronteira e almoço incluso, pelo preço total de 1.300 bahts (41 dólares). Fechamos tudo no hostel de Chiang Mai, com saída às 10h e chegada em Luang Prabang umas 5h30 da manhã do dia seguinte. O trecho de viagem na Tailândia até que é tranquilo, mas a parte do Laos é um perrengue considerável, com estradas ruins, muitas curvas e ônibus velho lotado com pessoas sentadas até em banquinhos no corredor. Existe a opção de ir de avião, que obviamente é mais caro, e também em um passeio de barco pelo rio Mekong, o que parece interessante, mas demanda mais tempo, já que é preciso dormir uma ou duas noites no caminho.

LUANG PRABANG – HANÓI:

 

1h de viagem

Voo da Vietnam Airlines comprado pela internet com apenas cinco dias de antecedência (160 dólares). Também é possível fazer esta viagem entre o Laos e o Vietnã de ônibus, mas há relatos de que demora até 30 horas em uma estrada horrível, e a economia não compensaria.

HANÓI – NHA TRANG:

 

2h de viagem

Voo da Vietjet Air comprado pela internet com apenas quatro dias de antecedência (60 dólares). A alternativa mais barata para este trajeto é o ônibus.

NHA TRANG – HO CHI MINH:

 

10h de viagem

Trem noturno com cama em cabine para quatro pessoas, por 550 mil dongs (26 dólares), comprado no hostel de Nha Trang. Saímos às 22h e chegamos às 8h da manhã do dia seguinte, em um trajeto de 10h de viagem já incluindo um certo atraso do trem. Para mais informações sobre o trem clique aqui.

HO CHI MIINH – SIEM REAP:

 

14h de viagem

Ônibus bom da Mekong Express (24 dólares), com parada na fronteira para a imigração e também em Phnom Pehn. Viagem feita durante o dia, das 7h às 21h, pois a fronteira não fica aberta de madrugada.

SIEM REAP – BANGKOK:

 

9h de viagem

Ônibus da Nattakan Bus (28 dólares), com parada para a imigração. Na fronteira, vale ficar atento com as malas, que precisam ser retiradas do ônibus para passar pelo raio-x. Viagem também feita durante o dia, das 8h às 17h30. Para quem quiser ganhar tempo, existem voos entre as duas cidades, mas o custo é bem maior.

HOSPEDAGEM:

Por causa dos bons preços e várias opções na maioria das cidades, ficamos em pequenos hotéis com quartos privados em alguns lugares e hostels com quartos compartilhados em outros. Por ser uma região que recebe bastante viajantes, a estrutura em geral é boa nas acomodações. Por causa da grande procura em determinadas datas, como o réveillon em Ko Phangan, por exemplo, fizemos a reserva com antecedência pela internet, mas na maioria dos casos fechamos os hostels durante a viagem mesmo.

*Veja nas páginas das cidades mais detalhes sobre cada hospedagem.

– FAÇA AQUI A SUA RESERVA PELO BOOKING.COM OU HOSTELWORLD.COM

CUSTOS: Muito baixo

Um dos roteiros mochileiros mais baratos do mundo para se viajar. Na Tailândia, por ser mais turístico, o gasto acaba sendo um pouco maior nos transportes e alimentação, mesmo assim o custo é baixo. O Vietnã é absurdamente barato, o Laos também, enquanto em Siem Reap, no Camboja, muitas coisas são cobradas em dólar, o que eleva um pouco os preços.

Alguns exemplos:

– Hotel ótimo em Hanói (Sans Souci IV), 3 estrelas, valor do quarto duplo: 20 dólares

– 4 copos de cerveja na Bia Hoi Corner, em Hanói: 1 dólar

– Balde de vodka ou whisky com refrigerante, em Ko Phangan: 6 dólares (200 bahts)

– Táxi, qualquer trajeto, na parte de trás da caminhonete, em Ko Phangan: 3 dólares (100 bahts)

– Ingresso Wat Pho (Buda reclinado), em Bangkok: 3 dólares (100 bahts)

– Massagem tailandesa, 1 hora, em Long Beach, em Ko Phi Phi: 9 dólares (300 bahts)

COMIDA:

Quase todos os pratos nesta região, principalmente na Tailândia, têm um tempero forte e são bastante apimentados. O fato não agrada a turistas que não estão acostumados com essas especiarias, e fora dos grandes centros não é fácil encontrar opções de comidas mais ocidentais. O Pad Thai (uma espécie de macarrão) e o fried rice são os pratos mais típicos e encontrados em qualquer esquina por lá, seja com frango, camarão ou porco, e sempre com pimenta. No Vietnã o tempero é um pouco mais ameno, e a refeição tradicional conta com o Pho, uma sopa com macarrão, broto de feijão e pedaços de carne ou frango. Principalmente em lugares mais turísticos, como na Khao San Road, em Bangkok, e na Pub Street, em Siem Reap, barraquinhas na ruas vendem para os mais corajosos petiscos exóticos, como escorpião, aranha, barata, larva, grilo…

IMPERDÍVEL:

– Ficar algumas noites em KO PHI PHI para aproveitar a ilha com tranquilidade, visitando a paradisíaca Maya Bay, o mar cristalino cheio de peixes e curtindo o agito noturno.

– O tour de HALONG BAY é um dos pontos altos da viagem. Para quem gosta de animação e festa com jovens no barco, a dica é fazer com a empresa Castaway Tour, saindo de Hanói.

– Existem diversas opções de passeios com ELEFANTES EM CHIANG MAI, mas a recomendação é fechar com a Blue Elephant, que oferece uma interação maior com os animais e até banho no rio.

– Ver o belo nascer do sol no templo de ANGKOR WAT, considerada a maior estrutura religiosa já construída. Depois, traçar uma rota e conhecer o restante do extenso complexo.

– Caminhar pela confusa KHAO SAN ROAD, em BANGKOK, e viver a autêntica experiência tailandesa, em meio a barraquinhas que vendem de tudo, tatuagens, roupas, comidas, bebidas.

Tiago Leme
Tiago Lemehttps://www.boraviajaragora.com/
Jornalista, autor do Bora Viajar Agora, atualmente morando em Paris, trabalhando como freelancer. Já visitei 77 países. Os posts escritos neste blog são relatos de minhas viagens, com dicas e informações para ajudar outros viajantes.

Leia Também

LUANG PRABANG: o que fazer, como ir, dicas

Monges e templos budistas, natureza e uma volta ao reino do passado na tranquilidade do Laos

BANGKOK: o que fazer, dicas e roteiro de 3 dias

Templos, mercado flutuante e a bagunça na Khao San: saiba o que fazer em três dias na capital tailandesa

ÁFRICA: roteiro de 23 dias por cinco países

Roteiro completo de viagem na África, de 23 dias por cinco países: África do Sul, Zimbábue, Zâmbia, Botswana e Tanzânia

3 COMENTÁRIOS

  1. Estou planejando um mochilão bem parecido com o seu para janeiro (38 dias tbm), com o objetivo de passar a virada na Full Moon Party tbm. Queria saber quanto vc gastou mais ou menos em toda a viagem e quanto foi a passagem para ter uma ideia do valor sem ela.
    Valeu!!

    • Fala, Nicholas, tudo bem? Economizando em muita coisa lá, mas sem deixar de fazer os passeios, gastei um pouco mais de 3 mil dólares neste roteiro, incluindo todos os gastos da viagem (voos e transportes internos, hospedagem, comida, bebida,…), menos o voo do Brasil até Bangkok. Essa passagem pode variar na média de uns R$ 3 mil até R$ 5 mil. Abraço!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos Posts

SAINT BARTH: as melhores praias, o que fazer, como ir

Uma (tentativa de) viagem barata na ilha francesa dos milionários e celebridades no Caribe

GORGES DU VERDON: como ir, o que fazer, onde ficar

Um dia no maior cânion da Europa, com pedalinho no lago e os campos de lavanda

MARSELHA: como ir às calanques, o que fazer, onde ficar

As belas calanques, praia, sol, imigrantes e uma França bem diferente da capital

SÃO PETERSBURGO: o que fazer, roteiro, dicas de viagem

Com toque europeu, a luxuosa cidade imperial dos czares russos, cultura e as noites brancas

IOS: festas, praias e o que mais fazer nesta ilha grega

A ilha grega com festas o dia inteiro e diversão garantida a preços baixos